a (eterna) Aula Um

Estou no fim do mestrado.

phd012111s
PHD Comics

Ou pelo menos no fim do prazo de dois anos pra terminar o mestrado. E eu sabia. Sabia que esse texto aqui ia chegar. Não porque vim do futuro ou qualquer coisa assim (embora boatos que talvez eu tenha vindo). Eu apenas sabia. Tem umas coisas que são assim, a gente só sabe. Sem certificado, sem diploma. Só sabe. Só sente.

É engraçado, esse negócio do mestrado. Porque eu não hesito em dizer que sou acadêmica. Eu filtro antes dizer todo o resto. O que faço, o que escuto, o que penso, o que gosto de comer nas quartas-feiras. Mas nunca hesito em dizer que sou acadêmica. Não. Acadêmica não. Estudante. E eu acho que é a parte da minha vida que, de modo geral, faz mais sentido. Eu gosto de teorizar. Sobre tudo. A academia, portanto, parece ser o lugar de existir mais lógico pra mim. Né?

Não sei.

jonathan-simcoe-88013

É que eu sou essa pessoa. Que na faculdade de história, era aluna de direito e na faculdade de direito, era aluna de história. Que, vestindo roupa preta e jaqueta de couro, coloca Britney Spears na trilha sonora desse texto. Que, com o tempo contadinho, trabalha, faz mestrado, distribui textão sobre temas aleatórios pela internet afora – e começa cursos livres nas quintas à noite.

Essa pessoa. Inconstante? Descontente? Questionadora? Com múltiplas personalidades? Ou só irresponsável? Essa pessoa. Que tá sempre fugindo loucamente do que tá correndo atrás de ser.

Por quê?

Não sei. Nunca soube. Nem nunca consegui corrigir esse meu desvio. Também não sei se realmente tentei, porque a verdade é que eu meio que gosto de ser assim. Ou pelo menos gosto de desgostar de me encaixotar. Embora eu ame caixinhas. (oops! I did it again)

Ah. Para de besteira, Marta. Você sabe que Douglas tem uma explicação melhor pra isso (porque ele sempre tem):

– Uma casa de praia – disse – nem mesmo precisa estar na praia. Embora as melhores estejam. Todos nós gostamos de nos congregar – prosseguiu – em condições limítrofes.
– É mesmo? – Perguntou Arthur.
– Onde o solo encontra a água. Onde a terra encontra o ar. Onde o corpo encontra a mente. Onde o espaço encontra o tempo. Gostamos de estar de um lado contemplando o outro.
(O homem sobre o Poste. Praticamente Inofensiva. Capítulo 9)

angelina-litvin-32188

Mas talvez não seja assim tão profundo, denso e individual quanto possa parecer. Pode ser que seja tudo reflexo do tempo do qual sou fruto, afinal de contas, a pós-modernidade tá aí pra liquidificar todas as estruturas, não é? Pode ser que seja só um medo meio paralisante de ser regular, de ser mais ou menos, que me leva, invariavelmente, à sabotagem. Eu quero que você se top-top-top.

Ou pode ser só porque eu ainda não tenha achado o que quer que eu esteja procurando ser.

E eu vivo essas Contemplações do Outro Lado com intensidade. Sabe, né? Eu intensifico tudo. E é nessa hora – de entregar a dissertação do mestrado – que essas aflições ganham contornos quase desesperadores. E, mais vezes do que não, me travam por completo. E aí não consigo escrever, não consigo ler, não consigo pensar. Não sobre o que deveria estar escrevendo, lendo, pensando.

Meu pensamento vai pra outro lugar. Qualquer outro lugar.

Travada pro que deveria estar escrevendo, lendo e pensando, entro nesse tipo de conversa, bem típica de um anoitecer de domingo:

[20:05, 17/9/2017] Renan Rizzardo: sabe o que eu acho
[20:05, 17/9/2017] Renan Rizzardo: posso estar errado
[20:05, 17/9/2017] Renan Rizzardo: mas acho que você gosta de estudar
[20:05, 17/9/2017] Renan Rizzardo: sem barreiras, limites, regras
[20:05, 17/9/2017] Renan Rizzardo: e não dessa forma quadrada que a academia opera
[20:06, 17/9/2017] Marta Savi: É, é isso, mas eu não posso ficar estudando assim
[20:06, 17/9/2017] Marta Savi: Não se eu quiser alguma coisa
[20:08, 17/9/2017] Marta Savi: Mas tá sendo bem merda
[20:09, 17/9/2017] Marta Savi: Esses últimos meses aí vão ser truncados
[20:09, 17/9/2017] Renan Rizzardo: mas a faculdade também foi né? Talvez sempre será, dentro desse formato
[20:09, 17/9/2017] Renan Rizzardo: talvez esse formato não combine com você
[20:09, 17/9/2017] Renan Rizzardo: só isso

Que leva a uma conclusão bastante óbvia: sou presa fácil pra qualquer e-mail bem escrito de propaganda de cursos aleatórios (“sempre é preciso gastar horas de reflexão para citar nomes aleatoriamente para defender um argumento”). Como esse em que me inscrevi na última terça-feira, decidi realmente fazer na quarta, começou ontem e vai durar por todas as quintas-feiras até depois do prazo de entrega da dissertação (se é que teremos uma). Um curso cujo nome é “Curso Livre de Filosofia e Literatura”.

Eu, mestranda em História do Direito. Na (eterna) Aula Um. Palavra. Significado. Sentido.

Às vezes, embarcar na experiência de sair da sua caixinha te faz perder as palavras.

Espero que seja esse o caso. E também espero que não. (…Baby, One More Time)


3 comentários sobre “a (eterna) Aula Um

  1. Pingback: esc. – Ansiosa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s